Altruísmo – Fundação Vicktor Flagënhein

Para além de nós mesmos

A Smart Money Corporation é uma instituição financeira que tem como objetivo principal o lucro, seu e de seus parceiros. Não obstante, acreditamos, praticamos e incentivamos comportamentos e atitudes que façam a diferença na vida de outros. Tomamos emprestado o termo cunhado pelo filósofo Auguste Comte, e denominamos esse conjunto de comportamentos e atitudes de ALTRUÍSMO.

Mais do que Filantropia, definida como a doação de recursos aos extremamente necessitados, o Altruísmo contempla gestos e ações que beneficiem qualquer indivíduo ou grupo além de si mesmo.

A ciência do Altruísmo

O cientista britânico Charles Darwin tornou-se mundialmente conhecido por sua obra “A Origem das Espécies”, na qual explica como os indivíduos competem entre si na busca de propagar seus próprios genes e como os mais adaptados acabam prevalecendo e perpetuando sua prole. No entanto, uma parte do quebra-cabeça evolucionário ficou nebulosa.  Darwin teve dificuldades em explicar por que alguns animais eram capazes de se sacrificar ou assumir uma perda momentânea em prol de outros.

O cientista norte-americano e professor da universidade de Harvard, Edward Wilson, propôs um complemento à teoria de Darwin em sua obra: “A Conquista Social da Terra”. Para Wilson a Seleção Natural ocorre em diversos níveis, não só no individual. Quando analisamos os animais em grupamentos, observamos que aqueles grupos sociais onde a cooperação e o altruísmo estão presentes têm muito mais chances de sobrevivência e perpetuação genética do que grupos individualistas.

Já na neurociência, diversos pesquisadores tentam mapear os mecanismos cerebrais acionados quando se é generoso. Em um estudo publicado na conceituada revista  Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), o neurocientista Moll J. e seus colaboradores mostraram, por meio de exames de ressonância magnética funcional, que ao se praticar atos altruístas são acionados no cérebro as mesmas áreas ligadas à recompensa, principalmente o sistema dopaminérgico mesolímbico. Ou seja, o ato de ajudar o próximo é muitas vezes tão prazeroso quanto ganhar um presente ou um prêmio financeiro.

A SMC e os outros

Como somos amantes do conhecimento, não poderíamos negar as evidências científicas acerca dos benefícios do altruísmo. Sendo assim, incorporamos o altruísmo como um de nossos valores. Dedicamos 5% (cinco por cento) de nosso faturamento total para financiar obras e projetos que beneficiem a vida de outros por meio da Vicktor Flagënhein Foundation.

A maior parte de nossas ações dá-se por meio de instituições estruturadas nas áreas de educação, saúde e combate à fome. Outra parte é investida no que chamamos de Altruísmo Randômico.

O Altruísmo Randômico consiste em gerar um impacto positivo único, inusitado e inesperado na vida de indivíduos que julguemos merecedores. É criar na vida dos contemplados uma experiência singular de espanto e contentamento que se traduza em um especial brilho no olhar.

Podemos, por exemplo, diante de um atendimento exemplar, dar uma gorjeta de U$ 10.000,00 (dez mil dólares) a um garçom que julgamos merecedor. Fazer com que um funcionário doméstico realize o sonho de ter o próprio lar, ao comprar para ele/ela uma linda casa. Ou ainda custear o tratamento oncológico da filha de um taxista que acabamos de conhecer.

Outra característica do nosso Altruísmo Randômico é que primeiro ajudamos e damos apoio àqueles próximos a nós e, a partir daí, ampliamos nosso círculo de auxílio. De acordo com nossos princípios, achamos mais coerente auxiliar primeiro nossos parentes, amigos e vizinhos, para então alocar recursos para solução de problemas em países mais distantes.

Algumas das instituições que a Vicktor Flagënhein Foundation apoia: